DEPRESSÃO...

23/03/2012 20:03

Você sabe reconhecer os sintomas da depressão?

O corpo pede socorro de muitas formas, o sentimento de tristeza é só uma delas

Mal compreendida e ainda cercada de preconceito, a depressão aflige muita gente que prefere guardar o silêncio quanto à doença em vez de dividir o problema com os amigos ou as pessoas próximas: dificuldades de relacionamento e baixa auto-estima tornam cada dia um obstáculo duro de vencer. Sentir tudo isso na pele dói e, atualmente, mais de 17 milhões de brasileiros sofrem com os sintomas da depressão, de acordo com a Organização Mundial da Saúde – OMS. no mundo, os números ultrapassam 120 milhões de diagnósticos.
A tristeza profunda é um dos sinais mais conhecidos da doença que, no entanto, provoca muitas outras complicações no corpo, algumas raramente associadas à depressão. Faça o teste e descubra o quanto você conhece sobre o tema e está apto para superá-lo ou para ajudar alguém a sair desse sofrimento. 

De acordo com o médico Ricardo Torresan, da Unesp, a depressão traz um conjunto de sintomas e a tristeza nem sempre faz parte deles, apesar de ser bastante comum. "Muitos pacientes não relatam a tristeza, mas a ausência total de sentimentos durante os episódios de depressão", afirma o especialista. A apatia é resultado da queda de serotonina e de noradrenalina na circulação. "Esses neurotransmissores são fundamentais para o sistema límbico, que é a área do cérebro responsável pelas emoções", afirma o psiquiatra Edson Hirata, do Hospital Santa Cruz. Essa falta comunicação pode afetar as emoções como um todo, não apenas os sentimentos positivos.

O isolamento social é um sintoma típico da depressão e de outras doenças. "Apatia e falta de vontade para se relacionar podem ser um sintoma de hipotireoidismo, por exemplo", diz Ricardo Torresan.

Ser sensível não é fator de risco para a depressão. De acordo com os especialistas, existem muitas outras questões envolvidas, como predisposição genética ou excesso de estresse. Porém, a inversa é verdadeira: pacientes deprimidos queixam-se por se sentirem mais sensíveis aos acontecimentos e por chorarem à toa.

A depressão pode fazer com a pessoa fique mais apática, sem energia e com falta iniciativa para tarefas simples, que antes da doença ela fazia, muitas vezes com prazer. "Esse sentimento chama-se anedonia e é um dos principais sintomas da depressão", alerta o médico Ricardo Torresan. Se a doença chegar a níveis mais avançados, esse sintoma pode evoluir, fazendo com que a pessoa deixe de fazer qualquer tarefa.

Ricardo Torresan conta que é muito comum as pessoas com depressão relatarem que seus pensamentos são predominantemente negativos e pessimistas. Podem ser ideias de ruína (como se tudo na vida fosse dar errado); de desvalia (a pessoa se sente incapaz, inferior); de culpa (se sentir excessivamente responsável por tudo que não dá certo); e até ideias de morte e suicídio. De acordo com o especialista, pode acontecer de pessoas naturalmente inseguras ou negativas terem esses pensamentos com mais frequência durante um quadro de depressão. "Porém, até mesmo as pessoas mais positivas podem sofrer esse sintoma durante um episódio depressivo", conta Ricardo.

Dores em qualquer parte do corpo aparecem sem mais nem menos. "As dores são consequências das alterações cerebrais causadas pela depressão." O psiquiatra, além dos medicamentos antidepressivos, pode receitar analgésicos.

A depressão é uma doença química, que afeta o trabalho dos neurotransmissores responsáveis pelo controle do sono. Algumas pessoas passam a dormir demais enquanto outras não conseguem pregar o olho de jeito nenhum.

A lógica é a mesma dos distúrbios do sono: a depressão pode ou não afetar os neurotransmissores responsáveis pelo controle do apetite. "Por isso é muito comum algumas pessoas com depressão terem episódios em que comem excessivamente, enquanto outras passam longos períodos de jejum", conta o psiquiatra Edson Hirata.

É muito comum encontrar pacientes com depressão queixarem-se de esquecimento e de dificuldade para se concentrar frente a um desafio intelectual. Tomar decisões também torna-se difícil, já que esses pacientes sofrem de insegurança e têm dificuldade de assumir riscos.

Nota: Entre os problemas que podem ser desencadeados pela depressão estão a perda de libido, maiores riscos de AVC, doenças cardíacas como infarto e piora do diabetes. "Por exemplo, quem tem depressão tem risco 2 vezes maior de desenvolver doença coronariana, infarto do miocardio do que pessoas que nunca tiveram depressão", afirma Edson Hirata.

Por Carolina Gonçalves

Fonte: http://www.minhavida.com.br